mastopexia.jpg

MASTOPEXIA

Com ou sem Prótese de Silicone

A cirurgia mamária é a cirurgia plástica estética mais realizada no mundo, sendo um dos principais procedimentos da clínica.  É muito importante, entender as queixas e expectativas do paciente com a cirurgia. Entre em contato em caso dúvidas, nossa equipe está preparada para te ajudar durante esse processo. Nesta página você encontrará informações importantes para sua tomada de decisão.  A mastopexia evoluiu muito nos últimos anos,tire suas dúvidas.

25 Perguntas frequentes

Sobre Mastopexia

1- O QUE É MASTOPEXIA?

É a cirurgia plástica das mamas que serve para alterar a posição do seio, alterando principalmente a posição e tamanho da aréola. A necessidade de alterar a posição do seio é causada pela queda (ptose) da mama com o passar da idade. Existem diversas causas de queda mamária, muito relacionado a qualidade da pele, ao peso (mamas grandes tendem a ter queda mais cedo), ao ganho/perda de peso e gestações associadas a lactação (amamentação).

A paciente tem que compreender que a cirurgia de mastopexia não é igual a uma cirurgia de prótese de aumento mamário. Na cirurgia da prótese de aumento existe pouco volume de mama e uma posição correta da aréola. Na cirurgia da mastopexia existe queda (ptose) da mama com uma aréola em posição inferior.

Cabe ao cirurgião instruir a paciente que a mastopexia compreende uma cirurgia com mais cicatrizes (T invertido, pirulito, L) e que a paciente terá uma posição de mama mais natural ou com menos queda em troca destas cicatrizes.

Toda cirurgia plástica tem cicatriz, cabe ao médico tentar camuflar em dobras anatômicas da pele e a paciente compreender a necessidade de cuidado no primeiro ano de evolução.

2- QUANDO A MASTOPEXIA É INDICADA?

É a cirurgia plástica das mamas que serve para alterar a posição do seio, alterando principalmente a posição e tamanho da aréola. A necessidade de alterar a posição do seio é causada pela queda (ptose) da mama com o passar da idade. Existem diversas causas de queda mamária, muito relacionado a qualidade da pele, ao peso (mamas grandes tendem a ter queda mais cedo), ao ganho/perda de peso e gestações associadas a lactação (amamentação).

A paciente tem que compreender que a cirurgia de mastopexia não é igual a uma cirurgia de prótese de aumento mamário. Na cirurgia da prótese de aumento existe pouco volume de mama e uma posição correta da aréola. Na cirurgia da mastopexia existe queda (ptose) da mama com uma aréola em posição inferior.

Cabe ao cirurgião instruir a paciente que a mastopexia compreende uma cirurgia com mais cicatrizes (T invertido, pirulito, L) e que a paciente terá uma posição de mama mais natural ou com menos queda em troca destas cicatrizes.

Toda cirurgia plástica tem cicatriz, cabe ao médico tentar camuflar em dobras anatômicas da pele e a paciente compreender a necessidade de cuidado no primeiro ano de evolução.

3- MASTOPEXIA TRATA A FLACIDEZ DA MAMA?​

A flacidez da mama é causada pela piora da qualidade da pele da paciente com o passar da idade, associado a fatores como ganho/perda de peso importante e número de gestações.

É possível sim tratar uma flacidez de pele durante uma mastopexia, pois podemos retirar o excesso de tecido que está causando a flacidez.

Mas é importante ressaltar que se o tecido mamário (pele e glândula) possuir uma flacidez natural, provavelmente ela voltará a apresentar a flacidez dentro dos próximos anos.

Em peles de pior qualidade é válido a tentativa de resultados com mamas menores, volumes menores de prótese (quando realizado mastopexia c/ prótese). Pois, quando o tecido não possui qualidade, o próprio peso da mama irá refazer a flacidez e queda mamária (ptose).

Existem muitas técnicas de mastopexia na tentativa de evitar a nova queda mamária, diminuir as cicatrizes e criar um contorno mamário harmonioso. Uma grande verdade da medicina é que quando existem muitas técnicas, nenhuma é 100% efetiva. Cabe ao médico especialista indicar a melhor técnica para resultado estético agradável. Cuide com marketing agressivos que apontam técnica nova com resultado duradouro.

4- CIRURGIA DE MAMA DE AUMENTO (PRÓTESE MAMÁRIA) OU MASTOPEXIA?

A cirurgia de aumento mamário (colocação de prótese de silicone) corrige a falta de volume mamário e consegue alterar a forma da mama. No entanto quando a mama da paciente possui uma queda (ptose), seja ela causada pelo envelhecimento natural ou por perda de peso ou gestações, é necessário retirar tecido para reposicionar no local correto a aréola e tratar a queda do seu volume.

A cirurgia de mastopexia é a recolocação da mama na sua posição correta tratando a queda mamária (ptose) e colocando a aréola novamente no ponto anatômico correto. No entanto para realizar uma mastopexia a paciente deve estar ciente que teremos que realizar cortes maiores na mama, todas elas em locais de transição do corpo na tentativa de camuflar as cicatrizes. Cicatrizes em pirulito ou T invertido são comuns.

Quando a queda mamária (ptose) é leve, é possível tratar somente com a colocação de prótese mamária, sabendo que o resultado será sem maiores cicatrizes, mas sem a elevação da mama e aréola que a mastopexia traria.

É necessário avaliação pelo cirurgião plástico para melhor indicação entre prótese de mama ou mastopexia. Quando o problema da mama é sua falta de volume, associada a uma forma não harmônica, a cirurgia de aumento mamário está indicada.

5- EXISTE MASTOPEXIA SEM CORTES?

Não existe, toda cirurgia plástica contempla cicatrizes.

Se a mastopexia é o procedimento que altera a posição da mama, para tratar sua queda (ptose) e melhora a posição do mamilo, ela necessariamente apresenta cortes e cicatrizes.

Quando buscamos na literatura o termo mastopexia sem cortes, não existe nenhum artigo de relevância científica com técnica descrita e fundamentada de um procedimento desse tipo.

Cuidado com termos utilizados para marketing, propaganda de técnicas novas com resultados perfeitos e duradouros. Nem sempre o que encontramos nas mídias sociais e internet é compatível com a realidade cirúrgica. Na cirurgia plástica não existe promessa de resultado. Pois cada corpo é único e reage de forma diferente.

Quedas mamárias leves podem ser tratadas somente com próteses de silicone, no entanto, isso não configura uma mastopexia.

Durante uma cirurgia de prótese de silicone de mama, o cirurgião pode alterar levemente o formado da mama com ressecções, pontos, lipoaspiração e colocação de gordura. No entanto, isso não configura mastopexia.

mastopexia 03.jpg

6- COMO É A CICATRIZ DA MASTOPEXIA?

A cicatriz mais comum da mastopexia é o T invertido, onde temos: 1- uma cicatriz que envolve a aréola, 2- uma cicatriz vertical no centro inferior da mama, 3- uma cicatriz horizontal próxima a altura do sulco infra-mamário (divisão mama-abdômen).

A cicatriz em T invertido é a mais utilizada por resultar em um formado harmonioso da mama da paciente, conseguido assim que o cirurgião plástico crie uma nova mama com projeção natural.

Existem outras possibilidades de cicatrizes, como a periareolar, que ocorre somente a volta da aréola, tendo limitação a elevação da mama possível e como desvantagem os alargamentos de cicatrizes.

Além das duas já citadas, temos a cicatriz em L e em pirulito, estas são variações da técnica em T invertido, com o diferencial de tentar reduzir a quantidade de cicatriz final.

A paciente deve, primeiramente, compreender que uma mastopexia não é uma cirurgia de prótese de silicone. Que o resultado de uma mastopexia é diferente do resultado de um silicone de mama. Frente a isso, deve estar descontente com o formato da mama e tranquila em fazer uma cirurgia que adicionará cicatrizes no seio, mas melhorará seu contorno.

7- COMO É FEITA A MASTOPEXIA?

A cirurgia da mastopexia é feita por um especialista. Com cortes em regiões especificas da mama, o cirurgião plástico constrói um novo cone mamário, alterando a posição de queda da mama (ptose) e colocando a aréola em posição mais natural. Normalmente, com o passar da idade e diversos fatores como ganho de peso e gestações, a aréola tente a cair (ptosar) e se voltar para região inferior.

O tempo de cirurgia pode variar bastante frente a necessidade ou técnica executada. Uma mastopexia é como se fosse duas cirurgias, pois temos que operar toda uma mama, depois temos que operar a outra mama, deixando o mais simétrico possível. Obviamente, toda estrutura do corpo que é dupla apresenta diferenças e são assimétricas, assim sendo, a mama é assimétrica antes do procedimento cirúrgico e, provavelmente, continuará sendo depois do procedimento. Como especialistas, nós conseguimos melhorar assimetrias/diferenças importantes, mas as duas mamas nunca serão totalmente iguais.

Dependendo da necessidade e queixa da paciente é possível sim realizar uma mastopexia (elevação da mama com reposição da aréola) e utilizar uma prótese de mama para melhora do volume e forma mamária. Obviamente, é uma cirurgia mais complexa, pois além de retirar e mudar estruturas de locais, estamos adicionando volume na mama da paciente.

8- MASTOPEXIA COM OU SEM PRÓTESE?

A mastopexia é uma cirurgia mamária com grau maior de dificuldade comparado a uma cirurgia de colocação de prótese de silicone. A permanência/manutenção do resultado é muito dependente das condições e qualidades da pele e mama da paciente. É relativamente comum pacientes que apresentam novas quedas mamárias (ptoses) poucos anos após o procedimento.

A utilização de prótese em uma mastopexia eleva a dificuldade da técnica cirurgia, pois além de tirar pele e tecidos na tentativa de elevar a mama e a aréola, iremos adicionar volume com o uso da prótese.

Importante em todo esse tema (mastopexia com prótese) é a paciente entender que seu resultado não será como um resultado de colocação de prótese de silicone. Que existem casos onde a estética final da mama (contorno) se assemelha com uma cirurgia de prótese mamária. No entanto, não é a maioria dos casos.

Para mamas com grandes volumes de tecido e glândula, a adição de uma prótese de silicone somente aumenta o peso sobre uma pele que já não suportava o volume/peso inicial e apresentou queda (ptose).

Converse bem com seu cirurgião sobre o uso ou não da prótese. Com o crescimento das mídias sociais houve uma mudança de ideias sobre o desenho mamário ideal, com busca para mamas menores com maior desenho (clivagem) e polo superior mais bem preenchido. Em casos específicos o uso da prótese ajuda a atingir esse resultado.

9- MASTOPEXIA COM LIPO, PODE?

A lipoaspiração é indicada quando a paciente quer melhorar seu contorno corporal. A associação com a mastopexia é muito interessante no contexto de melhoria do contorno da paciente. São cirurgias em áreas do corpo diferente, mas que levam ao mesmo padrão de resultado.

No entanto, como qualquer cirurgia combinada, deve ser avaliada a situação de saúde da paciente e examinada por um cirurgião plástico capacitado para melhor indicação.

Alguns estudos apontam que cirurgias com tempo maior que 6 horas são associadas a maior chance de complicação. Assim sendo, o cirurgião deve avaliar frente a queixa e necessidade de tratamento o tempo previsto de procedimento cirúrgico.

10- QUANTO TEMPO DURA UMA CIRURGIA DE MASTOPEXIA COM PRÓTESE?

Depende da técnica que o cirurgião plástico utiliza. Cirurgia plástica é totalmente médico dependente. Cada cirurgião atinge resultado diferente frente aos seus conhecimentos e habilidades técnicas. Assim sendo, não existe técnica universal cirúrgica. Existem várias técnicas cirúrgicas possíveis para cada paciente.

O tempo de cirurgia da mastopexia pode variar entre 2 horas e 30minutos até 6 horas. Dependendo da escolha da técnica cirúrgica e dificuldade do caso.

Todas as estruturas do corpo que são duplas, como a mama, são assimétricas. Não existe simetria perfeita na natura. No entanto, mamas com grau alto de assimetria impõe dificuldade maior cirúrgica, aumento o tempo do procedimento. Pois o cirurgião, dentro da técnica escolhida, busca diminuir o grau de assimetria mamária.

Quanto maior a necessidade de ressecção de tecidos, maior o tempo cirúrgico. Pois, além de cortar o excesso de tecido e realocá-lo em sua nova posição, é necessário realizar pontos de fixação e fechamento dos tecidos, aumentando o tempo cirúrgico.

A dúvida quanto ao tempo de cirurgia é comum entre as pacientes, como também é comum a dúvida quanto ao tamanho da prótese de silicone. Para o cirurgião, esses dois fatores são importantes, no entanto, somam-se a diversos outros na busca de um resultado estético agradável.

11- QUANTO TEMPO DÓI A MASTOPEXIA?

A dor após o procedimento é de leve a moderada. Vale lembrar que a dor deve ser muito individualizada. Alguns pacientes relatam desconfortos leves enquanto outros relatam dores com necessidade de medicação.  O importante é a paciente receber medicação no pós-operatório para evitar que esse desconforto/dor seja limitante do retorno a suas atividades diárias. Quando mais rápido o paciente retornar a sua rotina, mais precoce teremos seus resultados e menor é a chance de complicação no pós-operatório.

Vale lembrar que as mastopexia é uma cirurgia com bastante corte e pontos internos. No entanto, a paciente sente mais desconforto nos momentos de movimentação, quando o musculo peitoral maior é ativado. No pós-operatório, o uso de sutiã/malha cirúrgica confere segurança para a paciente retornar as atividades diárias com segurança e conforto. É comum, após liberar o uso de sutiã normal (não cirúrgico) a paciente manter o uso do sutiã cirúrgico por segurança.

Algumas pacientes relatam desconfortos em movimentações nos primeiros meses de pós-operatório. No entanto, vale lembrar que a pele e principalmente a aréola, no momento inicial terão sensibilidade diminuída, e que essa diminuição de sensibilidade é permanente em 1-10% dos casos.

O paciente deve compreender que está em um processo de recuperação, onde seu esforço é proporcional ao resultado que conquistará. No pós-operatório a dor e o inchaço fazem parte da evolução normal.

12- QUANTO TEMPO DESINCHA A MASTOPEXIA?

Primeiro é importante relatar que é normal a paciente inchar (edemaciar) após um procedimento cirúrgico como a cirurgia mamária.

Após a cirurgia, o corpo produz um líquido amarelado (que lembra a cor da urina) para preencher os espaços que ficaram vazios pela retirada da gordura. Este líquido é chamado de seroma. É para diminuir a quantidade e formação de seroma que a paciente usa no pós-operatório malha cirúrgica (sutiã cirúrgico).  Além disso, a malha cirúrgica produz conforto de movimento para a paciente no pós-operatório.

Importante relatar o papel da fisioterapia no pós-operatório, primeiramente com drenagem linfática e depois com massagens específicas, acelerando o retorno do paciente para atividades diárias.

Com os cuidados certos e esforço do paciente, em 4 semanas 80% do inchaço mamário do pós-operatório já está resolvido. Os outros 20% serão reabsorvidos nos meses seguintes de forma mais lenta, não limitando a atividade do paciente no período e melhorando o resultado estético final.

Minha conduta é avisar a paciente que no primeiro mês a mama ainda estará bem inchada, mas o polo superior (colo) já estará bem desenhando, portanto, já apresentando um decote bonito. Mas somente com 4 a 6 meses que encontramos o resultado estético agradável do polo inferior e aréolas. Pois, como o líquido tende a descer por gravidade, a parte inferior da mama retém maior quantidade de líquido (seroma).

Devemos sempre lembrar que o inchaço (edema) de só uma perna, associada a dor ou outros sintomas, pode ser sinal de trombose, sendo importante contactar o médico assistente para esclarecer as dúvidas.

13- QUANTOS DIAS DE REPOUSO APÓS CIRURGIA DE MASTOPEXIA?

O tempo de repouso acaba variando bastante dentro das técnicas utilizadas pelo cirurgião plástico.

Logo após o procedimento, a paciente é incentivada a movimentação dos membros inferiores, sair da cama e caminhar. Estudos apontam que a movimentação precoce diminuiu a chance de complicações, como trombose.

Após a segunda semana, a paciente já retorna a sua rotina, saindo do seu repouso relativo. Sabemos que a dor é muito individual e a diferença de evolução entre uma paciente e outra pode ser relacionado a desconforto/dor do pós-operatório. Por isso, todas as pacientes recebem medicação específica para dor leve e dor forte. 

A movimentação dos braços requer um cuidado maior no pós-operatório. Primeiramente, se foi realizado mastopexia com prótese e a prótese foi colocada abaixo do músculo peitoral, a movimentação dos braços pode causar movimentação da prótese, fazendo que o silicone altere de posição, normalmente subindo.  Assim sendo, é comum restrição de academia e pesos maiores que 5kg por 2-4 semanas. A direção de veículos também é contraindicada nas 2-4 semanas iniciais.  Além disso, a movimentação dos braços pode causar desconforto e dor para a paciente, pois ao movimentar os braços para cima, movimentamos a musculatura do peitoral.

Nessas primeiras semanas, escovar os dentes deve ser realizado apoiando o braço e cotovelo para diminuir o esforço da escovação. Banhos com auxílio (familiares) para lavar cabelo é recomendado.

Vale lembrar que um resultado de uma cirurgia plástica estética é extremamente dependente do paciente. Neste sentido orientamos o paciente a retornar as suas atividades físicas, alimentação saudável e drenagem/massagem com profissional da área o mais rápido possível no pós-operatório.

14- QUANTO TEMPO DEPOIS DA MASTOPEXIA POSSO LEVANTAR OS BRAÇOS?

O músculo peitoral maior se comunica com o braço, assim sendo, movimentações que elevem os braços acima da altura do cotovelo acabam movimentando a mama. Esforços abruptos podem movimentar a prótese de silicone ou causar sangramentos (hematoma) nas primeiras semanas de pós-operatório. 

A movimentação dos braços requer um cuidado maior no pós-operatório. Caso seja mastopexia com prótese e a prótese tenha sido colocada abaixo do músculo peitoral, a movimentação dos braços pode causar movimentação da prótese, fazendo que o silicone altere de posição, normalmente subindo.  Assim sendo, é comum restrição de academia e pesos maiores que 5kg por 2-4 semanas. A direção de veículos também é contraindicada nas 2-4 semanas iniciais. 

Nessas primeiras semanas, escovar os dentes deve ser realizado apoiando o braço e cotovelo para diminuir o esforço da escovação. Banhos com auxílio (familiares) para lavar cabelo é recomendado.

Importante é conversar com seu cirurgião e buscar orientação correta, não existe consenso na literatura, assim sendo, cada cirurgião individualiza sua conduta.

15- QUANTO TEMPO DEPOIS DA MASTOPEXIA POSSO PEGAR PESO?

O retorno as atividades físicas tanto leves/moderadas como musculação depende muito da conduta do cirurgião plástico, não existindo consenso na literatura médica.

Logo após o procedimento, a paciente é incentivada a movimentação dos membros inferiores, sair da cama e caminhar. Estudos apontam que a movimentação precoce das pernas diminuiu a chance de complicações, como trombose.

Após a segunda semana, a paciente já retorna a sua rotina, saindo do seu repouso relativo, mantendo um cuidado nas movimentações de braços e tronco. Sabemos que a dor é muito individual e a diferença de evolução entre uma paciente e outra pode ser relacionado a desconforto/dor do pós-operatório. Por isso todas as pacientes recebem medicação específica para dor leve e dor forte. 

A movimentação dos braços requer um cuidado maior no pós-operatório. Primeiramente, se foi realizada mastopexia com prótese e a prótese foi colocada abaixo do músculo peitoral, a movimentação dos braços pode causar movimentação da prótese, fazendo que o silicone altere de posição, normalmente subindo.  Assim sendo, é comum restrição de academia e pesos maiores que 5kg por 2-4 semanas. A direção de veículos também é contraindicada nas 2-4 semanas iniciais. 

Quando retornar ao exercício físico é interessante utilizar top de academia apertado ou duplo, para evitar movimentações indesejadas da mama.

Vale lembrar que a queda da mama (ptose) pode ocorrer novamente após a cirurgia da mastopexia, na literatura ocorre em 1 a 4% dos casos. Na maioria dos casos ocorre por um tecido que não possui qualidade para sustentar o volume/tamanho da mama. O esforço físico sem proteção (top de academia) pode ajudar na formação dessa nova queda (ptose).

16- QUANTO TEMPO DEPOIS DA CIRURGIA DE PRÓTESE DE MAMA PODE DIRIGIR?

Não existe um consenso entre um período perfeito. Normalmente, o médico libera após 1 mês de repouso. Podendo variar frente a técnica cirúrgica utilizada e evolução do pós-operatório da paciente.

O problema relacionado a direção no pós-operatório é que durante a direção de carros e motos a paciente movimenta o braço e o músculo peitoral maior. Assim sendo, a paciente pode ter limitação de movimentos por dor/desconforto, o que contraindica a direção. Outro problema é que movimentando a musculatura do peitoral antes do tempo recomendado, estruturas importantes que estão fixadas nesse músculo podem cicatrizes com problemas, levando a posição alteradas (assimetrias mamárias). Por último, vale lembrar que pacientes que realizam mastopexia com prótese podem alterar a posição da prótese pela movimentação precoce do músculo peitoral maior.

17- QUANTO TEMPO LEVA PARA CICATRIZAR UMA CIRURGIA DE MASTOPEXIA?

A cicatrização é um processo individual, único de cada paciente. Pela literatura, a cicatriz é considerada madura com 1 ano a 1 ano e meio de pós-operatório, atingindo sua coloração e força final, vale lembrar que a força da cicatriz (tensão) chega no máximo a 80% da força (tensão) da pele normal.

Uma consideração importante é que a cicatriz melhora com o passar da idade, pelo próprio envelhecimento natural da pele, é comum encontrarmos cicatrizes com melhores qualidades 3-5 anos após um procedimento cirúrgico. Pois a cicatrizes e a pele estão envelhecendo juntas, da mesma forma.

Vale destacar a evolução da coloração da cicatriz. A partir do primeiro mês até o terceiro após a cirurgia, a cicatriz se torna mais grossa e avermelhada, pelos vasos sanguíneos novos na região, necessários para a boa cicatrização. Essa evolução é natural e não configura cicatriz hipertrófica ou quelóide, que são doenças de cicatrização. Dessa coloração avermelhada, lentamente a cicatriz vai se tornando madura, ficando branca e fina, atingindo, como já comentado, seu aspecto maduro final entre 1 ano e 1 ano e meio de pós-operatório. Caso esteja com dúvidas quanto a evolução da sua cicatriz, busque o seu cirurgião plástico para uma avaliação.

A mastopexia é uma cirurgia em que alteramos a forma da mama, sua posição de queda (ptose) e volume, melhoramos a posição da aréola e seu maior tamanho pela gestação em troca de cicatrizes. A cicatriz sempre existirá, cabe ao cirurgião plástico tentar camuflar os cortes em linhas naturais do corpo. A paciente pronta para mastopexia é uma paciente descontente com seu contorno mamário de tal forma que não se importa com as cicatrizes que o procedimento trará.

01 .jpg

18- QUANTO TEMPO LEVA PARA VER O RESULTADO FINAL DA MASTOPEXIA?

Com 6 meses temos o resultado de uma mastopexia. Ainda teremos evolução da cicatriz até 1 ano a 1 ano e meio, mas com 6 meses temos o volume e forma atingidos com o procedimento cirúrgico.

Com os cuidados certos e esforço do paciente, em 4 semanas 80% do inchaço mamário do pós-operatório já está resolvido. Os outros 20% serão reabsorvidos nos meses seguintes de forma mais lenta, não limitando a atividade do paciente no período e melhorando o resultado estético final.

Esse excesso de líquido/inchaço se acumula na parte inferior da mama e porções laterais. É importante a paciente compreender a evolução natural, pois normalmente ela está feliz com o aspecto do polo superior da mama, contente com o volume e posição alcançado, no entanto a região inferior ainda está inchada e a região lateral pelo inchaço não apresenta o desenho/contorno mamário final.

19- QUANTO TEMPO TEM QUE USAR O SUTIÃ CIRÚRGICO EM UMA MASTOPEXIA?

Depende da conduta do seu cirurgião plástico. Pois o tempo de uso de sutiã é associado a técnica cirúrgica utilizada pelo cirurgião e as características da mama da paciente.

O sutiã cirúrgico serve para diminuir a produção de líquidos (seromas) e diminuir o inchaço (edema) após a cirurgia. Realizando compressão local, o sutiã evita um pós-operatório mais demorado pela formação de líquidos que causam desconforto e alteram a estética mamária.

Além disso, o sutiã cirúrgico confere segurança para a paciente. É um reforço local, mais uma camada de proteção. A partir da primeira semana, a cicatrização interna da mama já está bem evoluída, no entanto, a paciente sempre apresenta medo de ficar sem o sutiã.

Como conduta pessoal, mantenho o sutiã até o retorno de 1 mês de pós-operatório. Nesse momento, avalio a retirada. É comum a paciente manter o uso do sutiã cirúrgico por alguns meses após o médico liberar seu uso pois o sutiã confere conforto e segurança.

mastopexia 01.jpg

20- QUANTO TEMPO LEVA PARA PRÓTESE DESCER?

Quando associamos prótese mamária na mastopexia podemos utilizar a prótese na frente ou atrás do músculo peitoral maior. A descida da prótese é algo normal no pós-operatório pela ação do peso da prótese e da gravidade, assim sendo, é comum o cirurgião plástico colocar em posição mais alta a prótese sabendo da sua queda natural no pós-operatório.

Na primeira semana de pós-operatório, que marca o primeiro retorno, a prótese encontra-se em posição superior. No retorno de 1 mês é possível ver evolução da posição da prótese. No entanto, é no retorno de 3 meses que temos a real ideia da posição e descida da prótese frente ao desenho mamário.

Como comentando, em 3 meses a mama ainda não terá seu aspecto final. Os inchaços (edemas) ainda estarão presentes, principalmente em região inferior da mama por ação da gravidade. Assim sendo, a paciente já possui um volume adequado da mama, desenho de colo (polo superior) preenchido, no entanto, apresenta forma e contorno ainda irregular na região inferior e lateral da mama.

21- MASTOPEXIA, ANTES E DEPOIS.

Na resolução 1947/11 do CFM no Art. 3º versa que:

É vedado ao médico:  g) Expor a figura de seu paciente como forma de divulgar técnica, método ou resultado de tratamento.

Assim sendo, o médico pratica infração quando expõe a figura do seu paciente, mesmo que o paciente não seja identificável, em redes sociais ou sites. Médicos atuantes no Brasil, não podem expor imagens como antes ou depois ou similares.

Tome cuidado com o profissional da saúde que utiliza de meios fraudulentos de marketing na tentativa de angariar pacientes. Esse profissional sabidamente está cometendo uma infração.

22- POSSO AMAMENTAR DEPOIS DA MASTOPEXIA?

Pode ser que sim. No entanto, a paciente deve estar ciente que em uma mastopexia realizamos cortes no tecido mamário (glândula). Assim sendo, vários canais e trajetos dos ductos lactíferos (ductos que levam o leite até a papila) são lesionados. Não existe previsibilidade se a paciente conseguirá amamentar após um procedimento como uma mastopexia.

Caso a paciente pense em passar por uma gestação, talvez não seja o momento de realizar uma mastopexia. É bom lembrar que por estímulo hormonal a mama da mulher altera neste período. Ocorre aumento de tamanho, o que levar ao excesso de pele e queda (ptose) da mama pelo seu peso. Além disso, vale lembrar que a aréola altera seu diâmetro, aumentando e acaba se localizando em posição inferior no cone mamário.

23- POSSO GESTAR DEPOIS DA MASTOPEXIA?

Pode sim. A cirurgia da mastopexia envolve somente a mama da paciente, não alterando órgãos internos e, assim sendo, não alterando a possibilidade de uma gestação. O que pode ocorrer, como comentando na questão 22, é a paciente não conseguir amamentar e, além disso, ter alteração ou perda do resultado estético da mastopexia pelas alterações que ocorrem na mama por estímulo gestacional hormonal.

Caso a paciente pense em passar por uma gestação, talvez não seja o momento de realizar uma mastopexia.

24- QUAIS OS RISCOS DE UMA CIRURGIA DE MASTOPEXIA?

Nenhuma cirurgia é isenta de complicações. A paciente deve estar ciente que as complicações não fazem parte da rotina da cirurgia plástica, mas elas ocorrem. Escolha um profissional que estará com você durante alguma evolução de intercorrência.

Vale lembrar que as mamas nunca serão perfeitamente simétricas, que todas as estruturas do corpo que são duplas são diferentes, assim sendo, cabe ao cirurgião tentar melhorar a simetria. No entanto, mamas assimétricas no pré-operatório serão assimétricas no pós-operatório. Assimetrias grosseiras de mama ocorrem em 1.1-2.1% dos pacientes e assimetrias grosseiras de aréola ocorrem em 1.9-12.4% dos pacientes.

A perda da sensibilidade de aréola em grande ou pequeno grau é um risco do procedimento, frente a necessidade de cortes para melhor contorno mamário, ocorrendo em 1.3 -10.3% dos pacientes.

Um dos grandes medos relacionados a mastopexia é a perda da aréola (necrose). Teoricamente existe maior chance dessa complicação em mastopexia com prótese de aumento, pela pressão que a prótese causa em um tecido em cicatrização. Na literatura a chance de necrose de aréola, total ou parcial (mais comum) é de 0-5%, sendo mais alta em pacientes fumantes, diabéticos, obesos ou hipertensos.

A necessidade de reoperação/retoque vai de 10-14.7%, sendo as principais causas problemas de cicatrização, que ocorre em 2.5-5.7% dos pacientes; recorrência da queda mamária (ptose), que ocorre em 2.1-4.7% dos pacientes; desejo da paciente de alterar o tamanho do implante 3.2% dos pacientes. As mastopexia com cortes somente envolta da aréola, são aquelas com maior taxa de reoperação/retoque, sendo de 25.7%, principalmente relacionada a má qualidade de cicatriz. Obviamente, pacientes fumantes tem maior chance de complicação (26.1%) e reoperação/retoque (22.5%).

Quando falamos de complicações relacionadas a prótese mamária, a contratura capsular é a mais prevalente com 2.8%. Caso você queira saber mais sobre contratura capsular leia as perguntas e respostas de prótese mamária de silicone.

Vale destacar que a necessidade de novos procedimentos para tratamento de intercorrências, conhecido pelos pacientes como ¨RETOQUE¨ impõe novos custos para o paciente, sendo este responsável pelo custo da equipe médica, custo da equipe de anestesia e hospital.

25- QUAL O VALOR DE UMA MASTOPEXIA?

O preço de um procedimento cirúrgico pode variar muito. No entanto, o valor do procedimento é baseado no custo da equipe médica, custo da equipe de anestesia, hospital e valor da prótese de silicone.

Custo da equipe médicas: A cirurgia de mamária é um procedimento médico dependente, ou seja, cada médico consegue atingir um resultado diferente de acordo com suas próprias qualidades. Assim sendo, os valores podem variar bastante. Normalmente o cirurgião plástico acaba se subespecializando dentro de algum seguimento cirúrgico, como contorno corporal ou cirurgia face. Obviamente especialistas que são referências dentro de cada área possuem um custo mais alto. Normalmente os especialistas possuem publicações de artigos, livros e são chamados para apresentar aulas para outros cirurgiões plásticos, este é o conceito de referência médica.

Custo do Hospital: Hospitais em grandes regiões metropolitanas, com maior estrutura e equipamentos de ponta possuem preço mais alto que outros hospitais. A presença de uma U.T.I. (unidade de tratamento intensivo), aumenta o custo de um hospital, vale lembrar que é raro a necessidade de encaminhamento do paciente para uma U.T.I. no pós-operatório cirúrgico de uma cirurgia plástica estética, e que os hospitais sem esse suporte necessitam possuir contratos que possibilitem encaminhamentos dos pacientes caso surja essa necessidade.

Custo da prótese de Silicone: Existem diversas marcas liberadas pela ANVISA de prótese de silicone no Brasil. Os valores dos pares acabam variando dentro das suas características e marcas. Podendo custar de 2.000 até 5.000 reais o par da prótese de silicone.

Existe um custo que normalmente não é contabilizado pela paciente, mas deve ser citado, que são os custos no pós-operatório, como medicações, uso de malhas específicas e drenagem/massagem por profissional habilitada. É comum indicação de sessões de drenagem no pós-operatório, sendo necessário uma reserva de valor para estes custos no pós-operatório.

Vale destacar que a necessidade de novos procedimentos para tratamento de intercorrências, conhecido pelos pacientes como ´´RETOQUE`` impõe novos custos para o paciente, sendo este responsável pelo custo da equipe médica, custo da equipe de anestesia e hospital.

Não existe cirurgia plástica com promessa de resultado, cada corpo é único e deve ser tratado desta forma.

Marque sua Consulta

Todas as consultas médicas de pré e pós-operatório são realizadas na Clínica Caio Garcia de Cirurgia Plástica na Praia Brava, entre Itajaí e Balneário Camboriú.

A  consulta médica é o primeiro passo da relação médico-paciente. Serve para avaliar corretamente o caso com exame físico detalhado, compatibilizar as expectativas e possibilidades de resultado dos procedimentos indicados, retirar dúvidas do paciente e passar o orçamento.